Usinagem de metais: saiba como otimizar esse processo

usinagem de metais

A usinagem de metais é um processo fundamental para transformar peças metálicas e metais não ferrosos em objetos que podem ser utilizados em todos os segmentos da indústria e também no cotidiano das pessoas. 

Praticamente, tudo que conhecemos hoje como um produto final metálico passou pelo processo de usinagem. No segmento automotivo, por exemplo, um portfólio com opções de peças usinadas podem ser solicitadas, e a razão principal pela escolha é justamente ter o encaixe perfeito para um sistema, aumentando a produtividade e segurança do projeto. 

É importante frisar que este não é o único processo para transformar matéria-prima em peças. Para quem já está familiarizado com injeção plástica, moldagem ou fundição, saiba que são procedimentos “semelhantes” em relação a sua função, no entanto, a usinagem possui mais complexidade e requer técnicas de metalworking para dar vida a um produto. 

Várias peças metálicas podem passar pelo processo de usinagem como alumínio, bronze e o latão especialmente – este último é um produto bastante versátil e um dos mais comuns para esse tipo de procedimento. 

A seguir, vamos entender mais sobre processo e compartilhar algumas dicas para fazer uma boa usinagem de metais

O que é usinagem de metais?

Podemos definir a usinagem de metais como um processo industrial que utiliza o metal duro para criar uma peça mais flexível e com aplicação mais ampla (como válvulas e parafusos, por exemplo). Durante o processo existe a eliminação do “cavaco”, que é justamente uma etapa que vai garantir um acabamento superficial. 

A usinagem no Brasil é uma referência mundial. Segundo a Revista Ferramental, o país é um dos sete únicos no mundo que domina o processo em alta velocidade – que é chamado de HSM (High Speed Machining). 

O processo de usinagem HSM surgiu no início do século XX, mas só depois de 1980 que pôde ser concebido por ter em mãos a tecnologia necessária para tornar a ideia uma realidade. Para colocar em prática, são necessários três recursos principais: máquina, software e ferramentas. 

Você já deve ter ouvido falar sobre CNC, certo? Pois saiba que este é um dos programas de usinagem para produzir peças em tempo recorde. 

As vantagens da usinagem de metais em HSM são muitas. Primeiro, podemos citar a força do Brasil perante o mundo em relação às suas metalúrgicas e depois, a produtividade e ganho de tempo que tanto a fábrica quanto os clientes conseguem. 

Usinagem de latão

O latão é uma das ligas metálicas mais utilizadas para o processo de usinagem, pois seu uso é bastante popular e é uma liga encontrada em diferentes formatos (como barras, fitas, chapas e bobinas). Existem três principais equipamentos utilizados na usinagem deste metal: furadeira, rosqueadeiras e torno mecânico.

Usando as ferramentas, o processo final acaba sendo o mesmo já explicado anteriormente, em que um metal duro entra em contato com a liga e pressiona para que ela ganhe forma. Por ser muito versátil e flexível, o latão permite a criação de diversos produtos como parafusos, válvulas (como aquelas de botijão de gás), cadeado, instrumentos musicais, equipamentos hospitalares, entre outros itens comuns no cotidiano, com serventia tanto para empresas quanto para o consumidor final. 

Dicas para fazer usinagem de metais

Como pudemos ver até aqui, a usinagem de metais é um processo robusto e bastante útil para a rotina das indústrias. A seguir, separamos algumas dicas para ter mais produtividade no processo de usinagem. Confira!

Monitore o fluxo de trabalho

Mapear todas as etapas – principalmente de forma visual – ajuda na hora de fazer a usinagem de metais e ganhar mais agilidade. Para isso, identificar quais serão os recursos, as ferramentas, o tempo estimado e o que se espera obter é essencial para criar organogramas mais intuitivos. 

A partir disso, é possível definir condições de corte e parâmetros que melhor se adequam à peça (que pode ser feita totalmente sob medida ou seguindo os padrões ISO de qualidade). 

Determine a melhor usinagem para a peça

Existem processos convencionais e não convencionais quando falamos sobre a usinagem: a de geometria definida e a não-definida. Saber qual das duas vai ser utilizada é um passo importante para determinar o produto final. 

A geometria definida contém os processos de tornear, fresar, furar, rosquear, serrar e plainar. Já a não-definida contém os procedimentos de retificação, brunir, lapidar, lixar, polir, jatear e tamborear. É claro que para cada peça metálica existe uma especificação do fabricante sobre o procedimento. Consultar o especialista é fundamental. 

Gostou de saber mais sobre o processo de usinagem? Se você é uma empresa que utiliza ligas metálicas, metais ou metais não ferrosos, a Coppermetal tem a solução certa e personalizada. Tire suas dúvidas e solicite um orçamento agora mesmo com a gente!